O Judô, assim como a grande maioria das artes marciais modernas, utiliza-se de um sistema de faixas coloridas para determinar a graduação de seus alunos. Esse sistema de graduação, utilizados pelas artes marciais em todo o mundo, foi originalmente criado por Jigoro Kano, o fundador do Judô, sendo depois aperfeiçoado com o passar do tempo.

Antes da implantação do sistema de faixas coloridas nas artes marciais, nas antigas escolas de jujutsu (koryu), os alunos eram normalmente graduados através de certificados escritos por seus professores garantindo que eles possuiam um certo nível de aprendizado. Entretando, cada escola possuia sua própria forma de nivelar seus alunos, e isso era, para Jigoro Kano, uma desvantagem.

Sistema de faixas coloridas do Judô - No Brasil, a faixa cinza é apenas para as crianças

Sistema de faixas coloridas do Judô – No Brasil, a faixa cinza é apenas para as crianças

Assim, em 1883, o Sensei Jigoro Kano fez sua primeira divisão em seus alunos, dividindo-os em Mudansha (não-graduado) e Yodansha (graduado). Os mudanshas tem sua graduação divididas em Kyus (nível de habilidade). Os yodanshas tem sua graduação dividida em Dans (grau). O sistema de faixa colorida para os diversos kyus foi criado posteriormente na Europa, e daí exportado para o restante do mundo e das artes marciais, pois inicialmente, no Japão, a faixa branca era utilizada por todos os níveis de kyus, sendo que algumas escolas utilizavam a faixa marrom para os kyus mais elevados, e a preta para os yodanshas.

Veja abaixo a graduação do Judô utilizada no Brasil para os mudanshas:

  • Zero Kyu (mukyu) – Faixa Branca
  • 7º Kyu (nanakyu ou shichikyu) – Faixa Cinza – Somente para crianças
  • 6º Kyu (rokkyu) – Faixa Azul
  • Kyu (gokyu) – Faixa Amarela
  • 4º Kyu (yonkyu ou shikyu) – Faixa Laranja
  • 3º Kyu (sankyu) – Faixa Verde
  • 2º Kyu (nikyu) – Faixa Roxa
  • 1º Kyu (ikkyu) – Faixa Marrom

Após a faixa marrom, o praticante se torna um graduado, um yodansha, ganhando a faixa preta e o primeiro grau, se tornando um Shodan (portador do primeiro grau). A graduação em dans se dá da seguinte maneira:

  • 1º dan (shodan ou ichidan) – Faixa Preta
  • 2º dan (nidan) – Faixa Preta
  • 3º dan (sandan) – Faixa Preta
  • 4º dan (yodan) – Faixa Preta
  • 5º dan (godan) – Faixa Preta
  • 6º dan (rokudan) – Faixa Coral (vermelha e branca)
  • 7º dan (nanadan) – Faixa Coral (vermelha e branca)
  • 8º dan (hachidan) – Faixa Coral (vermelha e branca)
  • 9º dan (kyudan) – Faixa Vermelha
  • 10º dan (judan) – Faixa Vermelha

Oficialmente, 15 pessoas conquistaram o 10º  dan pela Kodokan, até os dias de hoje. Os três mais recentes foram promovidos em 2006. Por outras instituições, como a Federação Internacional de Judô, há outros que conquistaram o último dan. Keiko Fukuda (9º  dan Kodokan) foi a primeira mulher a ser promovida a 10º dan de Judô pela USA Judô e USJF. Jigoro Kano Shihan não possuia dans, pois como fundador do Judô, ele era quem graduava sendo que não se atribuiu nenhum grau. Conta-se que Jigoro Kano defendia que aquele que conseguisse um grau mais elevado ao décimo dan, retornaria à faixa branca, terminando assim o ciclo completo do Judô.

Abaixo, mais algumas terminologias que utilizamos no Judô (e também em outras artes marciais japonesas, talvez com alguma variação de significado):

  • Kohai – O aluno menos graduado que você.
  • Sempai – O aluno mais graduado que você.
  • Sensei – O professor, que deve ser obrigatoriamente um Yodansha.
  • Shihan – No Judô, o único com o título de Shihan é Jigoro Kano, por ser o criador e representante do Judô.